Um velho dilema: qual faculdade cursar?

19:23:00


Olá! Para quem não sabe, eu estou no 2º ano do Ensino Médio e a pressão para passar no ENEM, escolher uma faculdade e decidir como será o futuro tem se tornado cada vez mais presente. Com isso, as dúvidas sobre qual curso optar e todos os aspectos relacionados a essa questão, como mercado de trabalho e realização pessoal, passaram a fazer parte do meu dia-a-dia. Por esse ser um tópico que me deixa bastante pensativa e que eu gosto de discutir, decidi escrever esse post e falar um pouco sobre a minha relação com a tensão provocada pela aproximação do fim da etapa colegial e início da universitária. 

Desde que comecei a ser questionada sobre qual curso eu gostaria de fazer, minha resposta foi rápida: Direito. Talvez por ter primos que faziam essa faculdade, talvez por ser a área com a qual eu mais tinha "contato", não sei. Aos poucos fui descobrindo aspectos do curso e me identifiquei com ele. Decidi que queria ser juíza e ponto final. Me imaginei seguindo essa carreira, tudo maravilhoso. Até que de repente, no ano passado para ser mais específica, me peguei pensando: será que é isso mesmo que eu quero?

Comecei a perceber que características como gostar muito de ler, argumentar e escrever redações, poderiam ser compatíveis com outro estudo: Jornalismo. Passei a me imaginar trabalhando numa redação ou num site ou mesmo na televisão, sendo repórter correspondente em outro país, e gostei da ideia. Acontece que fui analisar melhor essa possibilidade e percebi que, por mais que essa profissão me atraísse, não era algo que eu gostaria de passar quatro anos da minha vida estudando. Foi assim que minha mente de estudante do Ensino Médio voltou para o Direito.

Passei a procurar livros sobre o curso, séries e filmes ambientados nesse meio, tudo para ficar mais empolgada com essa faculdade e deu certo, inclusive foi assim que descobri um dos meus seriados favoritos (Suits ♥). Apesar disso, minha certeza sobre fazer Direito nunca mais voltou. Passei a me questionar se a visão que eu tenho dessa área não é muito idealizada. Coloquei na cabeça que faria esse curso e para me consolar, de certa forma, decidi que após a primeira graduação eu poderia fazer outras, como Estudos Literários e Ciências Sociais, dois cursos que me despertam curiosidade. 

2016 chegou e com ele a minha paixão por História foi retomada (o que um professor bacana não faz, não é mesmo?). Sempre havia gostado dessa matéria, mas esse ano meus sentimentos por ela se tornaram bem maiores e eu consigo facilmente me ver passando anos estudando essa área. Com isso retornou a confusão. Eu estava irredutível, aparentemente, até que me vi cogitando a possibilidade de mudar novamente minha opção de curso. 

Após essa longa saga, me encontro num impasse. Afirmo estar decidida, pronta para ingressar na faculdade de Direito, quando no fundo sinto que ainda não consegui encontrar a convicção da qual necessito. Penso em fazer História e fico com medo da vida de professora, profissão de extrema importância, mas que, infelizmente, não recebe seu devido valor. Penso em fazer Direito e lembro que para chegar no status que eu desejo, trabalhando como juíza, há uma estrada longa e complicada a ser percorrida. 

Será que vale a pena escolher um curso pensando somente no meu gosto, na minha paixão por ele? No mundo capitalista em que vivemos, será que não é necessário focar na fonte de renda que tal faculdade irá proporcionar? Quanto mais eu reflito sobre esse assunto, menos certezas eu tenho. Parece que só me resta continuar aflita em relação a esse dilema e esperar.


Vocês estão passando ou já passaram por essa situação? Se sim, como lidam/lidaram com esse dilema? Me contem nos comentários!
Beijos e até o próximo post!


♥ Banco de Séries | Facebook | Filmow | Goodreads | Instagram | Skoob | Twitter | YouTube ♥


You Might Also Like

2 comentários

  1. oi minha querida! tem uma frase que diz que se trabalhamos em algo que amamos não trabalharemos um dia sequer... acho que é bem verdadeira, afinal de que adianta uma carreira milionária, mas a infelicidade de fazer algo que não curte?
    eu sempre quis ser pedagoga, como você diz não é o caminho mais fácil ou financeiramente mais reconhecido, entretanto poder fazer algo, ensinar algo apaixonadamente e permitir-se fazer parte do processo de crescimento da vida de uma pessoa pelo conhecimento é mágico... é a melhor gratificação!

    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu também estou no segundo ano e olha..que fase! A parte que eu mais me identifiquei nesse texto foi: "Será que vale a pena escolher um curso pensando somente no meu gosto, na minha paixão por ele? No mundo capitalista em que vivemos, será que não é necessário focar na fonte de renda que tal faculdade irá proporcionar? "
    Menina, toda vez que penso nisso fico louuuca!
    Boa sorte, espero que consiga fazer uma ótima escolha e que tudo dê certo! :)
    Cheiro de Pipoca

    ResponderExcluir

Não vai sair sem deixar um comentário, né? Sua opinião é muito importante para mim.
Por favor, deixe o link do seu blog no final do comentário, assim poderei retribuir a visita.
Obrigada. Volte sempre!

Layout por Gabrielle Oliveira. Tecnologia do Blogger.

Twitter

@blogfrasesperdidas

Subscribe