Minha Estante #40|O Papel de Parede Amarelo

16:28:00

Título: O Papel de Parede Amarelo
Autor (a): Charlotte Perkins Gilman
Páginas: 39

Editora: O conto foi publicado no Brasil em uma coletânea pela editora EDUFES em 2006, mas encontra-se disponível em formato de e-book em diferentes locais. 
Onde comprar: O e-book está disponível gratuitamente na internet.
Sinopse: A narradora é uma mulher, cujo marido - um médico - confinou-a em um quarto que ele alugou durante o verão. Ela é proibida de trabalhar e se vê obrigada a esconder seu diário dele, para que ela possa se recuperar do que ele diagnosticou como uma "temporária depressão nervosa - uma leve tendência histérica", um caso comum nas mulheres dessa época. As janelas do quarto possuem grades e há um portão no topa das escadas, permitindo a seu marido controlar seu acesso ao restante da casa. O conto ilustra o efeito do confinamento na saúde mental da narradora, e seu propensão à psicose. Não tendo nada para estimulá-la, ela se torna obsessiva pela textura e cor do papel de parede do quarto.
Nota: 5/5
"Há coisas nesse papel que ninguém, senão eu, sabe ou virá a saber." (Pág. 21)


Por se tratar de um conto, não é possível apresentar muitas informações sobre, afinal, qualquer coisa pode ser considerada spoiler. Mesmo assim, resolvi fazer esse post, ainda na coluna de resenhas, para falar um pouco sobre essa história curta, mas capaz de proporcionar diferentes críticas e reflexões.
Com um caráter autobiográfico, a obra retrata uma situação um tanto esquisita vivida pela autora que, após ser diagnosticada pelo marido e pelo irmão, ambos médicos, com uma temporária depressão nervosa, segundo eles sem gravidade, é levada para um sítio, onde deve passar um período de "repouso", para que assim possa se recuperar dessa ligeira tendência histérica que a afeta. Sendo obrigada a permanecer no quarto, sem contato com pessoas além de John, seu marido, e Jennie, responsável por cuidar da casa, e sem permissão para fazer algo que não seja repousar, com exceção do momento em que sua família lhe visita, a mulher começa a observar o local. Entre todos os aspectos, o que mais lhe chama a atenção, e causa até certo incômodo inicialmente, é um papel de parede amarelo, que a cada momento parece apresentar uma nova característica, sempre seguindo um padrão. 
Apesar da premissa um tanto confusa, O Papel de Parede Amarelo critica a situação da mulher na época em que esse conto foi escrito (final do século XIX), quando a submissão era a única característica do sexo feminino vista pela sociedade. Em várias ocasiões percebemos como a protagonista é submissa ao marido, ao aceitar todas as suas imposições mesmo que elas não soem coerentes para as suas condições. Um exemplo dessas medidas impostas por John (que na realidade foram impostas pelo médico da autora, pois quando Charlotte teve uma séria crise psicológica, ele orientou que ela ficasse em casa, proibida de exercer qualquer atividade, o que só piorou o seu estado) é o fato da esposa ser proibida de escrever, como se isso fosse capaz de exercer alguma influência negativa no seu estado mental. 
Além disso, podemos refletir através da visão do papel de parede. Em cada instante, a mulher identificava algo de novo nesse artefato da decoração de seu quarto. Mesmo caracterizando um momento de insanidade da nossa autora e protagonista, isso nos mostra que a ideia de que podem existir diferentes modos de enxergar algo ou alguém, maneiras distintas de pensar sobre uma mesma coisa, está inteiramente correta. Algo pode ser ou não simples de compreender, vai depender dos olhos de quem vê. Até mesmo um papel de parede amarelo.
A leitura é bem rápida, em formato de depoimento, uma espécie de desabafo, onde acompanhamos a maneira como a autora se sentia na situação em que se encontrava naquele período. São 39 páginas (ou mesmo dez, dependendo da edição/do e-book) que merecem a nossa atenção e reflexão. Super recomendo.

"Este papel olha para mim como se soubesse da terrível influência que exerce!" (Pág. 13)

Já leram O Papel de Parede Amarelo? O que acharam dessa história? Me contem nos comentários! Ah, a resenha não tem fotos pois li esse conto em e-book. 
Beijos e até o próximo post!

♥ Banco de Séries | Facebook | Filmow | Goodreads | Instagram | Skoob | Twitter | YouTube ♥


You Might Also Like

6 comentários

  1. Oi, Gabi! Tudo bem? Adorei a resenha! Eu gosto muito de contos e mesmo não tendo achado a premissa de "Papel de Parede Amarelo" tão interessante, fiquei com vontade de ler o conto! ^^ Espero lê-lo em breve.

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/2015/08/resenha-premiada-johnny-bleas-um-novo.html <- Tá rolando promoção do livro "Johnny Bleas - Um Novo Mundo" lá no blog! ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tony! Tudo ótimo e contigo? Fico feliz que tenha gostado! Leia sim. Depois me conte o que achou. Beijos ♥

      Excluir
  2. Oi Ganrielle, eu nunca tinha ouvido falar desse conto ainda, mas achei bem interessante. Ele é diferente do que estou acostumada a ler e acho que por isso me interessei bastante nele. Parabéns pela sua resenha :D

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Kétrin! Também me interessei por esse conto pelo fato de ele ser diferente do que eu costumo ler e foi uma ótima surpresa. Obrigada! Beijos ♥

      Excluir
  3. Oi Gabi!
    Esse conto parece ser interessante e cheio de críticas sociais. Como escrever poderia piorar o estado de saúde dela??
    Obrigada pela dica! Vou procurar na Amazon ^^
    Beijos,

    http://versosenotas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bárbara! Pois é! Procure, leia e depois me diga o que você achou. Beijos ♥

      Excluir

Não vai sair sem deixar um comentário, né? Sua opinião é muito importante para mim.
Por favor, deixe o link do seu blog no final do comentário, assim poderei retribuir a visita.
Obrigada. Volte sempre!

Layout por Gabrielle Oliveira. Tecnologia do Blogger.

Twitter

@blogfrasesperdidas

Subscribe